O interior dos espelhos

dance

Gosto de espelhos venezianos e dos reflexos da tua dança que neles passou a habitar. Uma flamenca luta interior que se alojou no ouvido atento. O bater dos teus saltos, de noite. Ora próximos. Ora distantes. Tão presentes. Como uma sombra pairando. Ocupando os espaços.

O teu andar, a estilhaçar os olhares mais íntimos. A afasta-los a todos. Na distância felina que não se deixar domar. Todos. Menos o meu. Quando te olho vejo-te por inteiro. Sem máscaras. Sem gôndolas. Nítida, nas águas que sempre te trazem próxima. Perto. Perto demais. Transparente como este gin-tónico mais forte que o costume. 

Suave mistério, o que nos liga. Guardo-te no reflexo dos espelhos. Nos venezianos, que são os mais charmosos para te guardar.

Edmond Dantes, 25 anos, Florença, 2:00 PM | Autoria de Dry-Martini

2 comentários

Filed under Polaroids cruzadas

2 responses to “O interior dos espelhos

  1. Gosto.
    Também de espelhos antigos e de reflexos, de flamenco e de proximidades que criam misteriosas ligações.
    Gostei muito.
    xin xin

  2. Sempre misterioso…não é comum verem-nos sem máscara!

    beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s